Perguntas que salvarão sua estratégia de aprendizagem

Confira tudo o que o profissional de treinamento precisa saber sobre sua audiência antes de elaborar um curso

De que adianta reunir conteúdo e criar um curso que ninguém tem interesse? Para não correr o risco de se debruçar em algo que não vai ter impacto sobre seus colaboradores, você deve antes entender o que eles estão pensando. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Escuta ativa – parte II

Apesar de ser uma das mais importantes habilidades, a maioria das pessoas não consegue ouvir atentamente. Saiba quais estratégias usar em seus treinamentos para estimular essa competência nos colaboradores

No primeiro post sobre escuta criativa, destacamos, entre outros pontos, a importância da interatividade e do feedback para incentivar os colaboradores a manterem a atenção aos conteúdos apresentados e às informações discutidas pelos colegas, de maneira que esse comportamento seja levado para fora dos treinamentos, ou seja, em suas relações profissionais e pessoais diárias.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Ferramentas de suporte ao desempenho

Coaching e mentoring apoiam as pessoas na construção e no fortalecimento de suas habilidades

O desenvolvimento profissional requer uma série de esforços que vão desde investimentos em qualificação técnica até desenvolvimento comportamental. Mas o profissional não está sozinho nessa jornada pelo aperfeiçoamento. 

As empresas inteligentes sabem que terão mais sucesso e retorno à medida que investirem em seus talentos. Assim, elas já preveem em sua estratégia de aprendizado e desempenho, o trabalho de duas ferramentas essenciais de suporte: coaching e mentoring. Confira mais detalhes a respeito de como esses métodos auxiliam a construção de uma organização de alta performance!




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Planejamento de carreira: a responsabilidade está em suas mãos

Se você não tem um plano, pode estar à deriva no mercado ou, ainda, dependente do plano de alguém

Você já parou para pensar em qual cargo ocupará em cinco ou dez anos ou então quando e como deseja se aposentar? Sabe qual será seu próximo passo profissional? Se essas ideias ainda não são preocupações, muita atenção. Quando você não tem um plano, pode estar à deriva no mercado e, ainda, dependente do plano de alguém, o que no geral é muito arriscado.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Sabotadores de carreira

Comportamentos que podem acabar com sua carreira: fuja deles!

O sucesso de uma carreira depende de diversos fatores, alguns deles (ou a maior parte deles) vindos do próprio profissional. Estar preparado tecnicamente é um bom exemplo. Quem sai da faculdade e não se especializa, não busca novas formas e áreas de aprendizado, acaba ficando para trás. O conhecimento precisa ser reciclado e, para isso, é muito importante estar em movimento, em contato com pessoas do meio acadêmico e do mercado, trocando informações e tendo acesso a novidades. 

O campo comportamental também exige muita atenção. De nada adianta o melhor currículo, se o candidato não tem espírito de equipe, é egocêntrico ou, até o oposto, por insegurança tem receio de se mostrar e inovar em seus projetos. “Mas eu não sou assim”, você pode estar pensando. Tem certeza? 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Comunique-se

Dicas para você melhorar a comunicação e fazer-se entender

Transmitir uma ideia e ser compreendido parece algo tão simples como somar dois e dois. O problema é que a comunicação não faz parte do campo da lógica. Você pode ter clara uma ideia e “travar” no momento de comunicá-la por nervoso, ansiedade, medo ou, ainda, verbalizá-la de uma forma muito direta (para você) sem que o outro entenda bulhufas.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

A liderança do futuro

Desenvolva suas habilidades para chegar lá

As novas gerações atuam em um ritmo acelerado, mas também de maneira muito criativa com ajuda da tecnologia, que estimula e suporta mudanças constantes seja nos processos, seja nos produtos. Os profissionais reciclam-se assim como as empresas e as formas de trabalho. “Formas de trabalho?”, você pergunta. Sim, já deu uma olhada no escritório hoje? Viu como as cadeiras estão vazias? Nem todos os colaboradores precisam estar presentes (fisicamente) durante as oito horas de trabalho. Alguns estão em clientes, outros viajam boa parte do ano e só retornam à sede da empresa para reuniões pontuais.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Você sabe trabalhar em equipe?

Atuando em parceria, profissionais com diferentes vivências, conhecimentos e personalidades podem contribuir bastante para os bons resultados de uma companhia

Quem se lembra dos trabalhos em grupo realizados no colégio ou na faculdade? Você era do tipo de aluno que abraçava todas as tarefas para fazer sozinho ou ficava encostado só esperando chegar o dia da apresentação para saber qual seria sua fala? Sabia lidar e, principalmente, ter uma boa comunicação com o restante dos colegas? Sofria quando o professor mencionava a palavra “grupo”?

O tempo passa e precisamos transferir nossas habilidades sociais para o ambiente de trabalho. Se não as temos bem desenvolvidas, chegamos à conclusão de que é necessário agir rapidamente, já que no mercado de trabalho não há recuperação. A regra é adaptar-se ou bye-bye.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Explore as possibilidades de sua carreira

Mudanças dependem de curiosidade e dedicação individual

Engana-se quem acredita que a responsabilidade pela carreira é de sua empresa ou do mercado em que atua. “Fui demitido por conta da economia que sofreu desaceleração”, “conquistei a vaga pois o gestor simpatizou comigo”, “não consegui a liderança porque não fui indicado pela diretoria”, comentários desse tipo são muito comuns e, às vezes, podem até fazer sentido. Mas o que você faz a partir de uma situação (positiva ou negativa) como qualquer uma das três citadas, isto é, se busca capacitação e indicações para uma recolocação após a demissão ou trabalha para manter-se empregado e conquistar desafios maiores em uma organização após sua contratação, tudo isso só dependerá de um elemento fundamental: você.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Carreira ou emprego?

Como identificar se você está acomodado com seu trabalho e conquistar uma carreira que seja fonte de realização 

Você trabalha apenas para pagar as contas e viver enquanto tira um mês de férias ou vive a alegria de fazer o gosta todos os dias? Pois grande parte das pessoas tem apenas um emprego e não uma carreira. O problema é que, em longo prazo, enxergar o trabalho apenas como forma de subsistência pode ter um impacto negativo não só para sua empresa, mas também para a sua vida. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter