Formando líderes

Entenda como funciona um programa de desenvolvimento de liderança estendido

Alguns têm perfil mais liberal, outros são controladores, podem ser generalistas ou especialistas, reservados ou extremamente comunicativos. Existem diversos perfis de liderança moldados por fatores pessoais e externos, a partir de experiências adquiridas desde o começo da vida e da carreira de cada indivíduo. Mas o mais importante ao contratar e, principalmente, trabalhar a formação de um líder é ter em mente que ele será responsável, entre outras atividades, por motivar outros colaboradores, ouvi-los e saber administrar o interesse de cada funcionário a favor do time e da organização.

Essa não é tarefa fácil, portanto, a estratégia de aprendizagem para liderança merece bastante atenção. Conforme aponta o especialista Nick van Dam em seu livro 25 melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, é possível criar um programa de desenvolvimento de liderança estendido. Selecionamos seus principais elementos, confira!

APRENDIZAGEM PRÉ-PROGRAMA

  • Comunidade de aprendizagem/práticas
É importante inscrever todos os participantes do programa em uma comunidade de aprendizagem/práticas. Esse grupo de líderes em capacitação deve permanecer ativo algum tempo antes e após o programa para que os inscritos possam compartilhar conhecimentos e experiências de aprendizado.

  • Módulos de salas de aula virtuais
Esses módulos são usados para engajar os líderes a participar de discussões com o corpo docente a respeito dos tópicos ministrados. Neles, são observados insights e percepções sobre o conteúdo.

  • Cursos online e autoestudo
Cada líder tem sua bagagem educacional e prática. Os módulos de aprendizagem online são fundamentais para que os participantes atinjam um nível comum de compreensão sobre assuntos-chave. Com isso, eles preparam-se para trocar conhecimento em sala de aula.

  • Avaliações online
Elas oferecem oportunidades para insights pessoais e para recebimento de feedbacks a partir de diferentes recursos tecnológicos. É ainda importante ressaltar que a conclusão e o processamento de pesquisas e estudos online não influenciam o tempo dedicado à sala de aula.

APRENDIZAGEM PÓS-PROGRAMA

  • Gerenciamento de objetivos individuais 
É recomendável que as pessoas estabeleçam uma série de objetivos específicos após o programa. Isso porque a fixação desses objetivos e do desempenho pode contribuir para o avanço das iniciativas.

  • Aprendizado pela ação
Projetos estratégicos em tempo real permitem que os líderes dediquem tempo e recursos a questões críticas de importância para o negócio.

  • Expansão da base de conhecimento
Quando os líderes começam a aplicar o conhecimento adquirido de forma prática, no trabalho, automaticamente identificam temas que merecem ser mais explorados. É aí que o acesso a novos conteúdos específicos de aprendizado entra como forma de suporte.

  • Coaching executivo
Executivos que passam pelo processo de coaching aperfeiçoam sua capacidade de ouvir, tornam-se mais flexíveis e melhoram a produtividade. Quando não é possível que líderes apliquem coaching em outros líderes, um profissional externo pode assumir a função e fornecer aos colaboradores orientações mais estruturadas para que atinjam seus objetivos.

  • Comunidade de aprendizagem/práticas
Aos profissionais que participaram do programa de liderança é sugerido que mantenham suas conexões e compartilhem suas experiências pós-programa, por meio de projetos de “aprendizagem pela ação”, levando novas ideias para a rede de aprendizado. 

Interessado em fazer a melhor gestão de processos de desempenho e aprendizado? Então conheça a solução MicroPower Performa, desenvolvida a partir da experiência acumulada pela equipe de desenvolvimento e consultoria da MicroPower ao longo de centenas de implementações de projetos, no Brasil e no exterior.

*Texto baseado na obra 25 melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, de Nick van Dam.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading