Sua empresa vai entrar no jogo?

O uso da Gamificação para treinamento de colaboradores

Há algum tempo, os games deixaram de ser passatempo ou “vício” de adolescente e tornaram-se verdadeiros aliados para as empresas. O uso de ideias e mecânicas dos jogos em um contexto não diretamente relacionado com jogos – a Gamificação (Gamification, em inglês) – engaja e proporciona interação entre colaboradores e empresa, transformando, de maneira divertida e descontraída, conceitos e experiências em simulações. 

Os games instigam duas fortes características do ser humano, a cooperação e a competitividade. Para tanto, alguns elementos são essenciais nas simulações:

Roteiro – as histórias (que podem apresentar estrutura linear ou não) são importantes para contextualizar o participante, além de envolvê-lo emocionalmente. Para capturar a atenção dos jogadores, sua construção depende de interatividades e recursos variados, como texto, áudio e imagens, que trabalham em prol da narrativa e de seus personagens, cenários e missões.

Carga de realidade – com decisões a serem tomadas em tempo real e situações relacionadas aos desafios do dia a dia no trabalho, é possível avaliar o senso de urgência dos participantes, entender como lidam com a pressão e a forma que arquitetam estratégias antes da tomada de decisão.

Recompensas e engajamento – linhas da vida, bônus e outros elementos do painel devem guiar e motivar o participante em direção aos seus objetivos.

Feedback – é importante proporcionar ao jogador o retorno de todo desafio proposto. A cada fase, deve-se criar mecanismos (bônus, recompensas, entrada e saída de personagens, evolução de status com relação de causa e consequência) que reforcem os resultados das ações tomadas para atingir os objetivos. Isso dará direcionamento e manterá o interesse do participante. Um ranking global também pode ser elaborado com base nas competências e na performance dos competidores.

A partir do momento em que se compreende o objetivo da empresa e o contexto dos jogadores, é possível trabalhar em cima desses elementos e desenvolver os critérios norteadores (regras), bem como a missão do jogo, que estará relacionada com as metas da empresa:

  • Aumento de produtividade
  • Engajamento do time para determinada ação ou campanha
  • Aprendizado de novas tecnologias
  • Diminuição da rotatividade de pessoal
  • Conhecimento sobre produtos e serviços
  • Pontualidade
  • Cumprimento de metas
Para o ano de 2015, o instituto de pesquisa americano Gartner Group previu que metade das empresas que investem em inovações terá alguma iniciativa baseada em jogos. Se sua empresa também está em busca de soluções para trabalhar a alta performance de uma forma divertida, dinâmica e eficaz, pense na Gamificação como uma estratégia para reinventar o negócio a partir do engajamento dos colaboradores. Para saber mais novidades sobre o assunto, conheça o Estúdio de Conteúdos da MicroPower.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading