Explore as possibilidades de sua carreira

Mudanças dependem de curiosidade e dedicação individual

Engana-se quem acredita que a responsabilidade pela carreira é de sua empresa ou do mercado em que atua. “Fui demitido por conta da economia que sofreu desaceleração”, “conquistei a vaga pois o gestor simpatizou comigo”, “não consegui a liderança porque não fui indicado pela diretoria”, comentários desse tipo são muito comuns e, às vezes, podem até fazer sentido. Mas o que você faz a partir de uma situação (positiva ou negativa) como qualquer uma das três citadas, isto é, se busca capacitação e indicações para uma recolocação após a demissão ou trabalha para manter-se empregado e conquistar desafios maiores em uma organização após sua contratação, tudo isso só dependerá de um elemento fundamental: você.

Antigamente, os profissionais ocupavam a mesma cadeira por anos, mesmo sem ter afinidade alguma com a função que exerciam. O que valia era a estabilidade, facilmente confundida com estagnação. Hoje, as pessoas não se contentam em ocupar por dez anos uma posição sem sentirem-se empolgadas com suas atividades diárias. Elas precisam de movimento, querem desenvolver-se e, cada vez mais, têm a necessidade de conhecer diferentes áreas, explorar seus talentos e descobrir novas paixões. 

Por isso, cresce o movimento de profissionais que se planejam e reservam um período da vida para testar suas habilidades. Pessoas que mudam de cargo, área, empresa e até de país para descobrir o que realmente lhes traz satisfação e confiança. Esse tipo de experiência pode inclusive desmistificar a equivocada ideia de que há um “emprego dos sonhos”, aquele que vai trazer impressionante retorno financeiro e realizações diárias, afinal, frustrações sempre existirão em toda profissão.

Mais que pesquisas e conversas com profissionais da área, a prática de uma função é a melhor forma para conhecê-la. Ela possibilita a avaliação de prós e contras e de seu sentimento em relação às frustrações e vitórias. “Sentimento?”, você pergunta. Exatamente. Mais que uma escolha racional, é preciso sentir-se bem e envolver-se emocionalmente com suas tarefas cotidianas.

Explorar as possibilidades de sua carreira e sair da zona de conforto ainda pode ser muito interessante para entender que mudanças demoram para acontecer e dependem de humildade, dedicação individual e persistência, mesmo diante de percalços como queda na remuneração ou no nível hierárquico. 
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading