Fui promovido a líder, e agora?

Como assumir a liderança com o pé direito

Você trabalhou duro, sugeriu ideias, lidou com frustrações, capacitou-se e agora surge a tão esperada promoção. Sua nova posição: líder. A princípio, uma vontade de gritar para todo mundo do escritório, da rua, do mundo que você conseguiu conquistar essa vitória após anos de trabalho perseverante. Mas no primeiro dia na nova função essa sensação dá lado à ansiedade. Surge a dúvida: "Será que vai ser possível dar conta de um time, das tarefas e das responsabilidades?".

Para você que está nessa situação ou, ainda, se começou a trabalhar agora, mas já tem planejado cada passo em direção a esse posto, confira algumas dicas que irão ajudá-lo a assumir a liderança sem surtar diante de seus colaboradores.

Mão na massa
O primeiro ponto é assumir o cargo, mas não se deixar abalar por ele ou deixar que ele suba à cabeça. Ou seja, pense que você “está” líder. Para continuar na posição e crescer, será necessário garantir a boa performance (sua, de cada colaborador e do coletivo). Isso significa explorar as habilidades de cada integrante da área e aproveitá-las para obter os melhores resultados.

Liste suas obrigações, mantenha a agenda (ou as agendas, você pode precisar de mais de uma) sempre em mãos e comece o trabalho. Conhecer seu time – os pontos fortes e fracos de cada colaborador, suas ideias, sugestões e reclamações – será uma de suas ações iniciais e isso o acompanhará até o último dia no cargo. Você deve ter olhos e ouvidos bem abertos para que o grupo tenha sucesso trabalhando em parceria. Ouça com atenção, avalie o que é possível ser adotado e o que não é viável e dê retorno a todos. Dessa forma, confiança, atenção e respeito serão as bases dessa relação e seus funcionários se sentirão seguros para acreditar em você. 

Conhecimento compartilhado
Repassar seu conhecimento ao time é fundamental. A ideia de que se você ensinar o que conhece deixará de ser necessário é absurda e denota insegurança. Um bom líder jamais deve ser centralizador, pelo contrário, uma de suas missões é preparar e capacitar os colaboradores. Além disso, é importante que se preocupe em compartilhar as expectativas e os resultados com todos os seus funcionários, caso contrário, frustrará a equipe e ainda acumulará as responsabilidades coletivas.

Nada de insegurança
Segurança não tem a ver com perfeição. Ninguém é perfeito. Mas não há nada pior que um líder inseguro. Se você não sabe qual será o próximo passo ou se não tem certeza que um projeto será aceito, não recue. Planeje, estabeleça as melhores ações junto aos talentos de sua equipe e apresente aos seus superiores. Lembre-se de que não é porque uma ação é nova ou ousada, que ela deve ser engavetada sem uma boa avaliação. Não jogue um balde de água fria na cabeça de um funcionário criativo que lhe propõe uma solução diferente, só porque você tem medo ou acha que a ideia será reprovada pela diretoria. Para combater a insegurança, busque diversas fontes e formas para esclarecer informações e não tenha receio de consultar as pessoas de sua equipe, seus pares e diretores. 

Capacitação para sempre
Conhecimento nunca é demais. Busque informações por meio de cursos de especialização, mídia, workshops, conversa com colegas. A ampliação do seu repertório também vai contribuir para o crescimento de todos do time, ajudará a acompanhar as mudanças no mercado e nos negócios de sua empresa e, ainda, será importante para o processo de planejamento e avaliação de projetos e ações. 

Outro ponto importante é não se restringir a sua área profissional. Leia um pouco de tudo, fique por dentro das novidades, vá a festas e eventos culturais. Seja interessante e tenha repertório para discutir outros assuntos, além dos profissionais. Essa atitude irá melhorar seu relacionamento e o aproximará do restante do time.

Inteligência emocional
O desenvolvimento da inteligência emocional é extremamente importante para líderes; há inclusive publicações sobre o tema, como o livro Leadership: the power of emotional intelligence (Liderança: o poder da inteligência emocional), de Daniel Goleman. Já divulgamos um post interessante sobre esse assunto, vale a pena dar uma lida. A ideia é trabalhar ao máximo essa habilidade com exercícios de reflexão, autodomínio e automotivação com o objetivo de preparar-se não somente para vitórias, mas principalmente para situações inesperadas e delicadas. 

E então, preparado para liderar? Seguindo esses passos, será mais fácil conduzir a posição na liderança que você conquistou com tanta dedicação e fazer dela um sucesso. Mas lembre-se, esse sucesso é coletivo. Tenha em mente que o espírito colaborativo deve ser seu maior mentor. 
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading