O perfil multidisciplinar do gestor de educação corporativa

Competências técnicas e comportamentais desse profissional comprometido com o desenvolvimento de pessoas

Com as empresas cada vez mais interessadas em garantir a alta performance de seus colaboradores, o gestor de educação corporativa passou a ter destaque no mercado, principalmente, entre os grupos que investem em sistemas de capacitação – micro, pequenas e grandes instituições de setores variados, como saúde, varejo, tecnologia, finanças, serviços e, inclusive, governo. 

Entendimento do negócio e da cultura organizacional, criatividade, gosto por compartilhar conhecimento são alguns dos atributos que devem estar presentes no perfil de um gestor de educação corporativa. Destacamos outras competências técnicas e comportamentais desse profissional comprometido com o desenvolvimento de pessoas. Confira!

Flexibilidade – saber lidar com mudanças, ser receptivo e ter rápido poder de reação. Pela quantidade de novos conteúdos, tecnologias de comunicação, volume de pessoas que passam por treinamentos, o profissional da área de educação corporativa deve manter-se em movimento e estar preparado para imprevistos, inovações e mudanças, acompanhando, assim, a dinâmica de sua função.

Relacionamento interpessoal positivo – para cultivar relacionamentos, o profissional da área de educação precisa ter bem desenvolvida a capacidade de comunicação. Afinal, ele lida com diferentes públicos (colaboradores, gestores, diretores) atuando como influenciador para toda a organização. Alavancar os relacionamentos com os líderes do negócio, por exemplo, é uma de suas ações de extrema importância para a manutenção e o contínuo investimento nos programas de capacitação. Estabelecer parcerias com instituições externas, isto é, agregar a expertise de parceiros e fornecedores também faz parte de suas atribuições.

Capacidade de inovação – a habilidade para criar novos conteúdos, “reciclar” materiais já produzidos e aplicar os melhores recursos, especialmente, tecnológicos aos treinamentos são algumas das ações impulsionadas pelo o engajamento natural que o profissional de educação apresenta como competência, que, somado a outras bases como planejamento, pesquisa constante sobre os mais variados temas e know-how, resulta em um processo espontâneo de inovação.

Compartilhamento do conhecimento – o gestor de comunicação corporativa deve ser capaz de inspirar outras pessoas com seu entusiasmo e conhecimento. Para alcançar a todos de maneira assertiva, ele precisa entender como funciona a educação formal, já que, muitas vezes, lida com pessoas que apresentam dificuldades em questões básicas de cálculo e leitura, por exemplo. Como fonte de informação para os colaboradores, seu trabalho é a mais efetiva forma de promoção da área de educação.

Competências técnicas – desenvolver habilidades relacionadas ao universo que envolve a educação, até mesmo para a orientação do time de treinamento ou de parceiros de negócios, pode facilitar o trabalho do gestor de educação e garantir a ele mais segurança e assertividade em seus projetos. Entre as competências técnicas importantes ao profissional estão: habilidades em novas tecnologias de comunicação (especialmente quando o assunto é criação de cursos em formato e-LearningGamification, Mundos Virtuais e inserção em redes sociais), modelagem de treinamento, design instrucional e metodologias de educação. 
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading