Acerte no feedback

Técnicas para garantir uma conversa franca e positiva com colegas e colaboradores

feedback é uma das ferramentas mais importantes para o desenvolvimento de pessoas e equipes. Um de seus papeis é promover a abertura para diálogos contínuos, de maneira que as orientações estimulem práticas cada vez mais assertivas, com o objetivo de atingir a alta performance organizacional. 

O problema é que algumas pessoas morrem de medo de dar feedback, principalmente, corretivo ou "negativo". Isso porque geralmente a ação é vista como um pontapé inicial para conflitos. Se esse for o seu caso, leia as dicas que preparamos sobre como garantir um feedback de qualidade e, assim, colaborar para a melhoria do desempenho de colegas e colaboradores.

1 – Comunique de forma clara 
Se um feedback é encarado de maneira negativa por quem recebe, o motivo pode ser a falta de clareza da informação ou até a forma como a opinião foi emitida. O uso de adjetivos como “desmotivado” ou “imprudente” e até de expressões como “nunca” e “sempre”, no geral, não deixam claro o que de fato precisa ser reforçado para trazer impactos positivos. 

Aposte em um discurso que evidencie aquilo que não deve ser repetido e o resultado esperado. Por exemplo, em vez de dizer “Toda vez é a mesma coisa: você não organiza a mercadoria no estoque”, prefira “O produto não foi localizado e acabamos perdendo a venda, pois você não organizou o estoque. Vamos estabelecer um prazo para que consiga colocá-lo em ordem”. Garanta que perguntas como “O que podemos fazer de agora em diante?”, “De que forma posso ajudá-lo a chegar ao resultado” e “Em quanto tempo será possível obter o resultado?” sejam discutidas e acordadas na conversa. 

2 – Seja discreto e atencioso
Não compartilhe um feedback perto de outros colaboradores. Se o fizer, a pessoa que irá receber o retorno ficará sem graça diante dos outros membros da equipe. Portanto, escolha um ambiente tranquilo, onde apenas você dois estejam presentes, para que esse seja um momento de conversa franca e próxima. O intuito é aproximar-se do outro, ouvi-lo (afinal, ele deve ter a chance de explicar os motivos que o levaram a determinado comportamento), fazer com que ele entenda a ideia e abrir caminho para novas conversas de acompanhamento.

3 – Coloque-se no lugar do outro
Avalie de que forma você receberia o mesmo feedback. Essa consideração pelo sentimento do colega ou colaborador ficará evidente quando você demonstrar ponderação ao expor seus argumentos. Treine para poder fazê-lo como um apoio sincero e conquiste, assim, a confiança do ouvinte, que se tornará mais aberto para aceitar críticas e sugestões.

4 – Pratique feedback de reforço
Reconheça ações e comportamentos positivos. Isso será bom para a autoestima do outro, que buscará ter novas atitudes para reforçar os elogios. Além disso, poderá contribuir para que um futuro feedback corretivo, se necessário, seja interpretado de forma mais amistosa, já que será feito por alguém que em outros momentos demonstrou reconhecimento e empenho pelo desenvolvimento do ouvinte.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Pingbacks and trackbacks (1)+

Loading