Marketing do aprendizado: as melhores práticas

Iniciativas de sucesso para divulgar cursos e treinamentos para o time de colaboradores

No geral, as áreas de aprendizado investem grande parte de seu orçamento em desenvolvimento e aquisição de cursos, por acreditarem que, dessa forma, os resultados aparecerão naturalmente. Nem passa pela cabeça dos gestores concentrar recursos em estratégias e campanhas de marketing.

Em seu livro 25 melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, Nick van Dam explica o motivo. Segundo o autor, antigamente, os portfólios de produtos (cursos de aprendizagem) eram bastante limitados e a maior parte dos funcionários conhecia o que estava disponível. “Além disso, a gerência determinava a participação dos usuários em programas de sala de aula, portanto não havia a necessidade de a divisão de aprendizado corporativo desempenhar um papel mais proativo no marketing e na promoção dos mesmos”, acrescenta.

A partir do e-Learning, com o aumento significativo dos cursos e treinamentos, essa situação começou a mudar. Os usuários passaram a demandar informações mais detalhadas a respeito dos programas de aprendizado disponíveis, bem como poderiam se beneficiar pelo comprometimento e participação. Dessa forma, as competências de marketing em trabalhos de aprendizado tornaram-se cada vez mais importantes e necessárias para engajar e encantar esses clientes internos e promover a cultura da alta performance dentro das organizações.

Confira uma lista com algumas das melhores práticas que Nick van Dam apresenta em sua obra, ações apresentadas no “Prêmio de melhores práticas em iniciativas de marketing para o aprendizado”, promovido pela Corporate University Exchange (CUX), do qual o autor participou como juiz.

1 – Manter uma gestão dinâmica no portal de aprendizado
Investir no desenho de portais e sites comerciais a partir de uma perspectiva gráfica com navegação amigável ao usuário. Mais importante, o conteúdo desses veículos deve mudar frequentemente para que o colaborador retorne ao portal de aprendizado.

2 – Prover um marketing especializado
As empresas têm colaboradores com necessidades específicas. Por isso, não é indicado sobrecarregar todas as pessoas com mensagens sobre novos programas de aprendizagem, que podem ou não ser indicados a elas. Assim, adote estratégias personalizadas de marketing (que fornecem informações baseadas no perfil de um indivíduo) para emitir alertas de aprendizado com base nos requisitos dos funcionários ou em seus cadastramentos em alertas específicos. 

3 - Propagandear produtos versus soluções de aprendizado
A estratégia deve ser chamar a atenção do colaborador para a solução de aprendizado que o curso ou treinamento proporcionará, isto é, o valor. Por exemplo: negociação para obtenção de resultados – carga de duas horas – competências de negociação criativas e vitoriosas.

O autor ainda destaca outros exemplos de estratégias de marketing bem-sucedidas, entre eles, newsletters de aprendizado utilizando uma variedade de templates, a inclusão de aprendizado como parte de outras iniciativas, gestão de relacionamento com os clientes (colaboradores) e métricas de marketing para medições de progresso.

Referência: 25 melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, de Nick van Dam
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Pingbacks and trackbacks (1)+

Loading