O que deve passar longe de sua estratégia de treinamento

Não investir em um programa de aprendizagem que seja contínuo, bem como não alinhar o treinamento e os objetivos do grupo são ações que podem acabar com a efetividade de seu programa de desenvolvimento

Além de ser uma excelente maneira para capacitar o time de colaboradores, o treinamento é uma ferramenta fundamental na construção de conhecimento. No entanto, algumas empresas “perdem o jeito” ao produzir o conteúdo ou até mesmo ao planejar (ou não) a forma como o treinamento será ministrado. 

Quantas vezes você saiu de um treinamento e já no dia seguinte não se lembrou do que foi ensinado ou não conseguiu aplicar os conceitos em suas tarefas? Os motivos variam. Em alguns casos, há grande quantidade de informações no curso, mas esse conteúdo não é reforçado em treinamentos de acompanhamento. Em outros, falta investimento em recursos tecnológicos e interativos que facilitariam a retenção do aprendizado e, consequentemente, a aplicação no negócio. 

Pensando em combater esse tipo de situação, selecionamos quatro itens que devem ser eliminados de sua estratégia de treinamento. Confira quais são eles!

1 – Não treinar a liderança
Tanto quanto o restante dos colaboradores, seus líderes precisam de contínuos treinamentos de atualização. Isso é importante não somente para a reciclagem e o aprimoramento de conhecimento, mas também para a incorporação de valores organizacionais, isto é, para transmitir ao time que há regras e valores bem definidos e válidos para todos dentro da organização – o que criará, inclusive, uma relação de respeito entre funcionários e suas lideranças. 

2 – Falta de alinhamento entre o treinamento e a estratégia do negócio
Não adianta criar a melhor experiência de treinamento com inúmeros recursos tecnológicos e novos conceitos, se eles não se alinham à estratégia de sua empresa. Conceitos sem uma ligação clara com as tarefas diárias e os objetivos maiores de seus colaboradores e da organização não têm aderência, ou seja, estão menos propensos a ser bem-sucedidos. 

3 – Não planejar um adequado orçamento de formação
Deixar de planejar seu orçamento de treinamento e desenvolvimento ou, simplesmente, cortar custos antes de fazer uma análise detalhada das necessidades do negócio e dos colaboradores, sem avaliar as contribuições que o aprendizado tem realizado para o alcance do desempenho organizacional é uma decisão de alto risco. 

4 – Não investir em aprendizagem contínua
Por economia e corte de custos ou até pela falta de alinhamento com os valores do negócio, muitos gestores não investem em um processo contínuo de aprendizado para seus colaboradores. Eles apostam em ações pontuais que, na maioria das vezes, não garantem ao time uma boa compreensão e também a retenção da informação para a posterior aplicação em seu trabalho. Como resultado, o grau de desempenho fica abaixo do esperado. 

É preciso amparar os funcionários para que, após a participação em treinamentos, sejam oferecidos recursos como materiais online e impressos, conteúdo em blogs, canais e comunidades em redes sociais corporativas para a manutenção do conhecimento.

Referência: Portal e-Learning Industry
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading