As vantagens do design instrucional

Aproveite o que há de melhor dentro do campo de design instrucional para seus colaboradores

Para facilitar o processo de aprendizado, o desenho instrucional trabalha com o estudo de público-alvo, a criação de personagens e acompanhamento dos alunos no processo de formação, entre outros fatores, o que torna a experiência com o conteúdo muito mais interessante e proveitosa. 

Durante o processo de desenho e desenvolvimento de programas de aprendizado, o gestor de treinamento pode (e deve) lançar mão de uma série de estratégias, como estudar as teorias de aprendizado adulto, pedagogia, métodos de instrução e mídia. 

Na obra e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências, Francisco Antonio Soeltl, presidente da MicroPower e do Instituto Learning & Performance Brasildestaca que a pedagogia é “a arte ou ciência de ensinar, mas o termo também pode se referir a estratégias ou ao estilo de ensino” e acrescenta, “o design instrucional é o desenvolvimento sistemático de especificações instrucionais que utilizam o aprendizado e a teoria instrucional para assegurar a qualidade da instrução”.

Selecionamos algumas das vantagens do design instrucional destacadas no livro de Soeltl. Confira quais são elas e repense se sua empresa sabe aproveitá-las para o melhor desempenho dos colaboradores! 

  • Criar programas de aprendizado que ajudem as pessoas a aprender as coisas que elas necessitam saber.
  • Assegurar um treinamento efetivo em relação ao custo.
  • Ajudar o treinamento para que ele se torne mais efetivo quanto ao tempo.
  • Selecionar o modo mais efetivo de apresentar o conteúdo.
  • Criar uma qualidade consistente do treinamento.
  • Criar treinamento vinculado às metas e aos objetivos da organização.
(Piskurich, 2006)
O Estúdio de Conteúdos da MicroPower conta com especialistas e ferramentas tecnológicas para fazer a gestão eficiente dos projetos de desenvolvimento dos cursos de sua empresa. Para conhecer nossas soluções, entre em contato!

Referência: e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências, de Francisco Antonio Soeltl.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading