Aposte no uso de storyboard para aprimorar seu e-Learning

Com o storyboard como espelho de seu produto final, é possível fazer correções precisas no e-Learning, o que lhe poupará tempo e dinheiro

 

O primeiro storyboard foi criado nos estúdios de Walt Disney, no início da década de 1930, quando o animador Webb Smith desenhou cenas sequenciais em folhas separadas de papel e prendeu-as nas paredes de seu escritório.

 

Você provavelmente já viu algum exemplo dessa espécie de “organizador de ilustrações ou imagens”, no geral, utilizado para o planejamento visual de cenas, mas talvez não saiba como ele pode ser útil para orientar profissionais de e-Learning no desenvolvimento de seus cursos.

 

Toda estratégia de criação de e-Learning deve levar em conta um item básico e fundamental: uma base bem estruturada. O que isso significa? Se um curso for criado sem planejamento, pesquisa de público e de ferramentas (inclusive de design e interatividade), ele provavelmente não atingirá os resultados esperados. 

 

É aí que o storyboard entra em ação e influencia o curso como um todo, podendo não só ajudar no processo de ilustração de ideias, mas também oferecer experiências mais atrativas e visualmente ricas para o público.

 

Selecionamos cinco dicas para ajudá-lo a criar storyboards para seus cursos e-Learning. Tome nota, aplique-as e aprimore a comunicação visual de seus projetos!

 

Comece pelo templateselecione o template ideal para seu storyboard. Há inúmeros tipos, só é preciso avaliar aquele que você tem mais facilidade para usar.

 

Objetivos claros: antes de iniciar o projeto, tenha em mente o porquê do curso, a que público pretende atingir, quais são os resultados que devem ser “engatilhados” a partir do uso do material. Identifique exatamente o que seu colaborador precisa adquirir, para então levantar as informações que farão parte do curso e a melhor maneira de trabalhar com esses dados.

 

Conheça a audiência: a pesquisa é a chave para o sucesso de seu storyboard e, consequentemente, do e-Learning. Conduza pesquisas em grupo e entrevistas individuais para aprender o máximo possível sobre sua audiência, o que inclui, conhecer seu histórico educacional, cultural, conhecimento profissional e nível de experiência.

 

Crie uma sequência consistente para seu storyboarddefina os elementos de design mais apropriados, reúna o material de aprendizagem e todas as informações necessárias para compor o curso. Seu storyboard deve conter tudo esquematizado. Para tanto, quebre seu conteúdo em pedaços e módulos para representá-lo efetivamente; defina a sequência em que o conteúdo será apresentado ao público; pense na ordem dos tópicos ou unidades e nos títulos, bem como estratégias de call to action, se for o caso.  

 

Recursos multimídia: defina que imagens e gráficos, animações e vídeos de e-Learning estarão no e-Learning e inclua uma descrição analítica de cada um na parte correspondente de seu storyboard. Certifique-se de que há espaço em cada tela para elementos visuais e de áudio, tais como clips, narrações e cenários interativos. Insira o máximo de informações que puder em seu storyboard para que ele seja o espelho do produto final. Assim, você poderá fazer correções precisas no e-Learning, poupando tempo e dinheiro. Por exemplo, se precisa redirecionar o participante para a primeira tela do segundo módulo quando ele clicar em um botão, mencione essa informação em seu storyboard. Faça isso para cada atividade, avaliação e ícone da navegação em seu curso para que você não corra o risco de um fluxo de navegação desorganizado.

 

Referência: Portal e-Learning Industry


Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading