Humanize o e-Learning

Como fazer com que seus cursos realmente toquem e incentivem o colaborador 

Pense duas vezes (ou mais) antes de continuar a produzir "mais do mesmo" ou prepare-se para perder sua audiência! Na economia atual, tudo é feito de acordo com o que o cliente precisa e deseja – do café ao carro, da casa ao pacote de viagem – e o aprendizado acompanha esse ritmo. Para maximizar o potencial de seus cursos, que tal deixá-los mais humanizados ou personalizados? Selecionamos algumas dicas interessantes do SHIFT eLearning Blog. Tome nota!

1 – A aprendizagem começa no nível individual, quando um conteúdo atinge uma necessidade específica do colaborador. Isso explica porque um material muito padronizado deixa de ser tão interessante. Lembre-se: customizar o material favorece a identificação da audiência. Portanto, preste atenção à diversidade entre os participantes, como eles aprendem, seus objetivos, aspectos culturais, suas funções e atividades. Isso fará uma grande diferença para o sucesso do curso.

2 – Saia da “robótica” linguagem corporativa e escreva ou fale de maneira natural com os colaboradores. Sim, por que dificultar e querer falar difícil? Seu objetivo deve ser uma comunicação correta e clara, mas também bastante pessoal e coloquial. Dirija-se ao participante como “você”; use sentenças curtas e elimine tudo o que estiver sobrando; escreva e depois leia em voz alta para ver se está sonoro e compreensível. Facilitar a comunicação é dar mais um passo em direção ao seu objetivo maior: transmitir conhecimento.

3 – Use imagens e elementos gráficos que tenham total relação com o cotidiano do colaborador. Por exemplo: fotos de pessoas reais, em locais reais e, se possível, em situações ambientadas nos cenários onde seus colaboradores passam grande parte do tempo (escritório, fábrica, cliente, campo). Isso tudo vai tornar a experiência mais real e ajudará a transmitir confiança para a equipe.

4 – Respostas corretas em avaliações nem sempre representam aprendizado autêntico. Os resultados devem ser medidos durante todo o curso. Por isso, observe se seu material instiga interações sociais, participações, debates e até se levanta questionamentos. Mais importante, avalie se o colaborador está tendo sucesso ao aplicar o conhecimento em sua rotina de trabalho, seja para otimizar um processo ou fazer qualquer outra melhoria, nesse caso sim, tem-se um aprendizado efetivo para o colaborador e o negócio.

Referência: SHIFT eLearning Blog

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading