Alta Performance: invista no compartilhamento de expertise

Confira abordagens que podem melhorar as chances de êxito no processo de compartilhamento de expertise

Conseguir os melhores especialistas é um processo bastante trabalhoso para qualquer tipo de organização. Mas fazer com que esses profissionais devotem o tempo necessário para compartilhar suas expertises, não deixando de lado suas atividades profissionais é ainda mais complicado.

No capítulo “Trabalhando com Especialistas e Expertise”, do livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, o autor Marc J. Rosenberg argumenta que muito provavelmente os especialistas de sua empresa contem com uma plena carga de trabalho e já estejam respondendo a solicitações por ajuda sob uma maneira informal. Mas que, ainda assim, com o intuito de evitar possíveis resistências e frustrações, é importante investir na implantação de um processo de compartilhamento de expertise mais formal e com uma estrutura de incentivo e suporte.

Rosenberg apresenta oito abordagens que podem melhorar as chances de êxito nesse processo e faremos dois posts detalhando cada uma delas. Neste primeiro texto, destacaremos os seguintes aspectos: redução da carga de trabalho, incentivos apropriados, rotatividade de especialistas e gerenciamento de demanda. Boa leitura!

Reduza a carga de trabalho. Quando especialistas são bombardeados com perguntas ou solicitações para recomendações além de sua carga de trabalho, eles podem melindrar-se com o fardo extra que terão de carregar. Se a situação ficar exageradamente estressante, algo irá ceder, e o mais provável é que sejam suas disposições de compartilhar o que sabem. Para evitar essa e outras situações mais delicadas, certifique-se de inserir compartilhamento de expertise diretamente na descrição da função e no papel. Conceda tempo e assegure que eles (e todas as outras pessoas) saibam que isso faz parte de seus trabalhos.

Utilize os incentivos apropriados. Certamente, podem ser usados dinheiro, oportunidades promocionais e privilégios adicionais, mas não retire incentivos que mexam com o profissionalismo, tais como a oportunidade de participar de congressos profissionais ou de contactar pares do mesmo setor. Em alguns casos, a oportunidade de ministrar cursos mais avançados ou de ser um palestrante convidado em uma sessão é um bom incentivo profissional para um especialista.

Efetue rotatividade de especialistas. Considere promover uma rotatividade entre seus especialistas de modo que mais pessoas consigam a chance de servir em cada papel. Não apenas isso manterá o conhecimento atualizado, mas também criará um quadro cada vez maior de funcionários especializados pela empresa que praticam compartilhamento de conhecimento.

Gerencie a demanda. É preciso proteger seus especialistas de serem inundados com solicitações. Implantar “horas de expediente” virtuais é um meio de gerenciar a demanda. E mais, dê aos especialistas a habilidade de postar respostas online de modo que aqueles que fazem perguntas futuras sobre o mesmo assunto possam acessar essas respostas prévias. 

Referência: Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading